miércoles, 19 de agosto de 2015

Intervértebra

Um

Do dual, espelho apontado
A existência me divide entre
o entre e o entre.. eu e outro

Do triângulo, do ventre...
do brilho do ouro
a chama da vela

Da ordem e do quadrado
Do pentagrama e do homem
Da magia, eu e ela... e os sentidos.

O Infinito nisso tudo contido
o mais Complexo
é simples reflexo
simples
é sempre
Descontínuo sempre
pra ser sempre
agora...

um ponto

.

No hay comentarios:

Publicar un comentario