miércoles, 19 de agosto de 2015

Intervértebra

Um

Do dual, espelho apontado
A existência me divide entre
o entre e o entre.. eu e outro

Do triângulo, do ventre...
do brilho do ouro
a chama da vela

Da ordem e do quadrado
Do pentagrama e do homem
Da magia, eu e ela... e os sentidos.

O Infinito nisso tudo contido
o mais Complexo
é simples reflexo
simples
é sempre
Descontínuo sempre
pra ser sempre
agora...

um ponto

.

sábado, 1 de agosto de 2015

Antes só do que comigo

Engulo-me a cada segundo.
Mas acontece que não passo pela garganta,
a coisa toda entala e volta pro mundo
tem coisa que ninguém aguenta

Eu parei pra pensar e decidi perguntar
leve-me ao seu líder
foi quando percebi que pode-se determinar
não quando eu quiser
mas que cometo erros pro meu próprio bem

Acontece que não faz a menor diferença isso tudo ser verdade
se eu diga ou não que me sinto assim também
pois ao mesmo tempo tudo isso é mentira, pura singularidade
queria eu apenas escolher o que mais convém...