lunes, 3 de septiembre de 2012

Rectificandoque

Era como um pesadelo, mas eu estava acordado. E era pior: mais nítido, vívido, e muito mais real. Por mais absurdo, ou mais surreal que parecesse… ou mais doloroso.
E por saber que era um pesadelo, eu, lúcido, decidi não temer, e entreguei-me. Ri da cara de demônios, vi todos morrerem, eu perdi tudo, vi os ferimentos cicatrizarem. Enquanto eu ria de traições e do mundo que não compreendia, das muralhas que cresciam, dos monstros, enquanto eu observava os órgãos que paravam de funcionar os demônios se alimentavam de minha alma.
Mas está enganado quem pensa que eu não sabia o que fazia. Pois quanto mais fundo eu fosse, quanto mais minha alma fosse devorada… Quanto menos sobrasse de mim, mais perto estaria de enfrentar o maior dos demônios: O meu próprio demônio.

No hay comentarios:

Publicar un comentario