lunes, 4 de junio de 2012

Nome e Idade

As letras já não rimam com os números
Mas tudo bem, não procure saber
Pois detalhes muito grandes são efêmeros
E também não têm onde caber...

Não sei nem sou
E quando digo que vou
É porque sou onde e quando.

E às vezes eu não sou
Mas não deixo de ser
Pois sou você...

E quando eu for meu nome
Deixarei de crer
Em tudo que podia ser.

E o que você acredita com esmero,
Eu sou, do fundo, do tudo
Mesmo por um segundo, contudo,
Sou onde e quando, um mero
Nada...

No hay comentarios:

Publicar un comentario