viernes, 29 de junio de 2012

O que virou a minha vida?

Minha vida virou...
Minha vida virou vida.

sábado, 23 de junio de 2012

As long as you don't choose everything remains possible

"Enquanto você não escolhe, tudo permanece possível".
Esta memorável frase de Jaco Van Dormael aparece no filme Mr. Nobody, e vem direcionando minha vida. Só notei a importância dela pra mim quando associei não o seu sentido literal - que me transformaria em um compatibilista - mas à sua provocação que faz ao inerte, ao entrópico e ao potente. Não é de livre-arbítrio nem de determinismo metafísico que estamos tratando. A meu ver, em nenhum momento a frase em seu contexto pretende isso.
Tudo começa com a observação de eventos passados. Observei qual meu papel no determinismo modal, e criei as várias "ficções contrafactuais possíveis". Depois seleciono as causas que se apresentaram para que os eventos passassem de potentes para reais e atuais, e aí comecei a perceber que o contrafactual ainda era potente em várias situações, ainda que apenas ficção. E também mais de uma causa se apresentou para um evento, mas apenas uma foi determinante ou influenciou para seu acontecimento. Mas ainda assim, não proponho para esta frase ser científica ou ficção.
Observando e analisando um pouco do eventos mais recentes que vão de coincidências a premonições passei a perceber mais o caos como causa. Pois o mesmo deixa de ser caos depois que surge do potente e passa ao atual, ainda que entrópico, pois suas energias se transformam em alguma outra coisa, que, por esgotamento de possibilidades não é nada mais que uma causa, normalmente a única percebida (mas que poderia ser qualquer outra). Aí o futuro já não surpreende, apenas o presente. Mas ao contrário do modal, é entrópico, pois seu tempo viaja em mais de uma direção, mas ainda não é metafísico, apenas é. É apenas arte:
A arte é uma mentira. Mas a única mentira que afirma ser mentira. Sua potencialidade é infinita, sua inércia é movente e sua entropia é sua substância. E nunca pretende ser a única coisa que a filosofia, a ciência e a religião pretendem: ser verdade.
E enquanto a arte for mentira, tudo permanece possível. Tudo ainda é caos, coincidência, tudo co-incide, tudo é possível, entrópico, inerte e potente. Enquanto o universo for arte, tudo permanece possível.

sábado, 16 de junio de 2012

Ser Humano

Sou Animal
Nada
.

martes, 12 de junio de 2012

Fuga

O medo pensa que é poesia
E me narra como herói
Numa vida de maresia
Amarra o falso ao que dói

E só quando o relógio morrer
É que o mesmo anestesia
Tic... Tac... A percorrer
"É lógico!" ele próprio me dizia.

E de repente, repete... Tudo o que quiserem
Desisto... Disto e de tudo, que eu quiser
Quando os grandes desafios chegarem
Estarei distante. De tudo o que eu fizer

sábado, 9 de junio de 2012

A Forca

A liberdade... é a escolha.
A escolha é baseada nos mesmos padrões de um jogo de dados. Enquanto minhas cascas se perdem ao redor de meus passos endiabrados, vai, de sobras a restos, nascendo como um sol a substância nuclear do que me faz, e, ainda assim, não me mostra. Quando então a encruzilhada não te oferece nem coleira, nem colar. Apenas a corda. Acorde.

lunes, 4 de junio de 2012

Lua

Nessa brincadeira de repartir olhares
Até, lentamente, descolar nossas mãos
Calados, mergulhados em todos os detalhes
Das camadas, camas e chãos
Daqueles, meus e seus,
Beijos... que se desfazem jamais
E quando o fazem, basta repetir


E mesmo sem dizer adeus, a cada dia mais
Menos quero te deixar partir

Nome e Idade

As letras já não rimam com os números
Mas tudo bem, não procure saber
Pois detalhes muito grandes são efêmeros
E também não têm onde caber...

Não sei nem sou
E quando digo que vou
É porque sou onde e quando.

E às vezes eu não sou
Mas não deixo de ser
Pois sou você...

E quando eu for meu nome
Deixarei de crer
Em tudo que podia ser.

E o que você acredita com esmero,
Eu sou, do fundo, do tudo
Mesmo por um segundo, contudo,
Sou onde e quando, um mero
Nada...

domingo, 3 de junio de 2012

Sexto Sentido

O único sentido do corpo é a dor.