martes, 20 de marzo de 2012

Batom de Urucum

Nunca pedi,
Mas esqueci
De não fazer questão
De esconder

Que eu não pude
Desprender do abraço
Que aqueci
E me perdi
Sem me defender
E...
Assim me prendi, sem querer
Pensar ou mesmo tentar
Te impedir quando você realizou meus desejos
Depois atrasou o relógio, pra não me encontrar no horário combinado.

Até lembro que dormimos sem cama
Pois se cama houvesse sequer dormiríamos
Demoraria

E no primeiro bocejo, último beijo
Veio o sol
Que ardeu como nossa febre
Mas esqueceu
e aí fui embora

Sem me, a mim ou, te
Despedir

Nunca pedi,
Mas fui embora
Com a lua brilhando
Nos ombros

E um sorriso no (seu) quarto
Minguante
Sempre
Crescente

E você pode até ver meus olhos
Mas não pode ver os seus

E a marca que ficou

Ardeu
Na medida.

Mordeu.
E a mordida
pra sempre sorriu

No hay comentarios:

Publicar un comentario