sábado, 28 de enero de 2012

Eu te amo, mas não te posso.

É difícil escrever para ela... Quando não sei bem o que sentir. Aí, meio sem voz, eu só digo sobre os gatos que a gente tem, ou a flor que eu não reguei. Enquanto penso que poderia ter segurado aquela mão, contado sobre as constelações que eu conheço.
Sabe como eu sou, ela até dá brechas, mas sou claustrofóbico demais para conseguir aproveitá-las.

domingo, 22 de enero de 2012

Meu amor, por favor, não espere acordada

Uma canção de amor é só o que eu queria escrever
Mas o que sempre deixo são esses bilhetes suicidas
Que eu colo na geladeira, pra te avisar a hora que eu voltarei.
E eu te traria flores, mas elas estavam apodrecidas,
Então trouxe um pouco de poeira, da qual nunca mais encontrarei
Que fui buscar em uma estrela com seu nome, venha ver...

domingo, 15 de enero de 2012

Errar é Libertar

E a dor que ele mais sentia
Era a dor de ser errado
Mas o maior erro que ele cometia
Era o de ser masoquista.

Quimera

É quando venta
Que os fantasmas pensam tocar seus cabelos
E quando venta
É que eu posso sentir o seu perfume...

lunes, 9 de enero de 2012

Ressaca

Elas vão
E voltam com violência
Afogo-me
Em vão
Pois elas voltam sem clemência
Respiro
E elas ínvadem meu pulmão
Tento nadar
Elas me levam às profundesas pela mão
São as ondas em uma tempestade
Que levam para a margem o meu corpo...

As lembranças que eu beijo dentro do copo.