miércoles, 23 de noviembre de 2011

Eclipse

Quando perto, brilham impetuosamente
Deleitam-se de todo pólen, afásicos
Em seus peitos algo briga impiedosamente
Deitam-se. Mas não podem tangir. Afastados

São filhos bipáridos de um mesmo amor
E afastam-se, polutos dos mesmos ares
Breve voltarão no ciclo de um astro morto
Mas hoje um odeia e outro ama. Bipolares

No hay comentarios:

Publicar un comentario