viernes, 18 de noviembre de 2011

Atire Agora

Quero que tudo morra aos poucos. Todos.
Espero ficar rouco de falar besteiras sem sentido,
Revolvendo o passado que joguei no poço
E adormecer louco, com o revólver na cabeceira

1 comentario:

  1. Mas é você que aponta a arma pra minha cabeça
    Com o dedo trêmulo, não decide se atira ou não
    E eu já pronto, definho, não contenho a besta
    Atire agora. Pois eu quero morrer logo
    Não me prenda em seu monólogos.
    Não tente... me prender em seus braços
    Se você não pretende me sufocar.
    Ame... ou mate-me.

    ResponderEliminar