domingo, 30 de octubre de 2011

Página em Branco

Mais uma noite acordado
Com a corda no pescoço.
Eu esboço mais uma nota
De um grande esforço:
Que um dia livrará
Meu franco amor
De mais uma morte:
Do fraco na forca,
O feito do forte,
A alvorada do perdoado.
Uma parte do livro
No pêndulo do feitio
Que é devorada
Pelo vazio:
"O Capítulo do Silêncio"
É assim que eu chamo
A página em branco
Na qual que digo que te amo.

jueves, 27 de octubre de 2011

Quebre

Antitética
A rima poética
Gramática e estética

Eruditização

A fala da cética
O discurso de dialética

Se horroriza, é feia e esquelética,
Quebre.

domingo, 23 de octubre de 2011

Cada pedaço

Esses fragmentos... São meu alimento.

viernes, 21 de octubre de 2011

A outra respiração

Já nascido há algumas horas, o sol brincava e escapava.
Num céu ora cinza, quase rosa.
Eu ouvia duas respirações. A minha não.
Vinha o vento, silencioso como orações, enchiam o quarto, e em algum momento, como se não agüentasse mais, esvaziava.
A outra respiração... Era dela, ao meu lado.
Eu espiava. Mas sem olhá-la, pois toda vez que o fazia tinha desejos de beijá-la, e queria eu respirá-la.
Ela brilhava, ela sorria. E, por isso, como se não pudesse mais, eu olhava.
E agora ouvia seu coração. O meu não.
Não resisti, e aquele cabelo caindo aos olhos, afastei, afaguei.
Mas é só, então. Pois assim como ela dormia, eu, acordado, apenas sonhava.

miércoles, 19 de octubre de 2011

Prazer em conhecê-la

Depois de dois meses uma briga. A última, pois eu já não me dou ao trabalho de sofrer com o fim. Na verdade estou sempre em busca do mesmo. Quanto antes vier, menos espera. Já não me permito as surpresas desagradáveis, nem os esforços inúteis.
A vida é assim, baby. Eu quebro seu coração, mas mesmo imaginando que isso seja impossível, você já dividiu a menor partícula indivisível do espaço: algum caco do meu coração.
Por isso eu nem tento. Esperança é acreditar em suposições, em algo que não existe. "Nós" não existimos, "nós" fomos. Casualmente ou por qualquer momento, nós fomos, brevemente significamos, mas nunca existimos. O "nós" nunca existiu. Algo potencialmente real demais pra ser mentira, mas "quase" ou "e se..." demais pra ser verdade. Nem o fim, nesse caso, é real. Não fique triste, portanto.
Por isso despeço-me com um "olá", como se nunca tivéssemos nos conhecido:

- Olá! Prazer em conhecê-la
- Oi... o prazer é meu!
- Então você é amiga do Tiago?
- Sim, que bom que vocês se conhecem...
- Ah é? Por que?
- Sempre te vi por aí, e quis conhecê-lo...
- Ora, bastava ter falado comigo!
- Como?
- Assim: E aí, vamos comprar uma bebida?
- Claro!

Eu peguei sua mão e fomos até o bar. Depois de dois copos um beijo.
Depois de dois meses uma briga. A última, pois eu já não me dou ao trabalho de sofrer com o fim...

lunes, 17 de octubre de 2011

Inverso

O incerto...
Vasto deserto
Entre o travesseiro e o chão
No colchão, uma avessa paixão.

miércoles, 12 de octubre de 2011

Um pássaro que não voa

Onírico e tédio se misturam,
Meus olhos não fecham,
Mas estou num nível médio e turvo
Onde o óbvio se afrouxa.

Sua invisível imagem se aproxima,
Graciosamente evanesce.
Cai o véu do mundo, prostíbulo.
A socrática mente envaidece.

Despeça-se com um beijo ao menos
Antes de despedaçar o mundo que vejo.
Seja o antídoto destes venenos obscenos!
Ceife minhas asas em seu primeiro voejo!

lunes, 10 de octubre de 2011

Definitivo

É um limite que não se desfaz
Nem também se defende.
Me faz e determina fugaz.
É a fuga destes defeitos.

Sempre às beiras, de maneira
que eu não prove nem suporte.
Serpea minha alma inteira,
Foge e me deixa com fome,
A morte...

viernes, 7 de octubre de 2011

Artéria

Incomode, mude.
Não tenha modos
Nem medos

Seja rude,
Como um disparo...

Mas seja raro.

jueves, 6 de octubre de 2011

feito com amor

se eu fosse alguém
desenharia uma história colorida
onde estaríamos eu e você
desenhando nossas vidas
perdendo o tempo como crianças
rindo da cara um do outro
e fodassilizando nossas impressões
se algo na vida tivesse sentido
fosse isso
fosse um desenho grande num papel gigante
donde estaríamos desenhando uma história colorida
onde leríamos a nós dois e contaríamos histórias
onde rabiscos nada mais fossem
do que rabiscos

for little old bode

Desabraço

Envolve, embrulha, acaricia,
Mas dissolve, farfalha
E enfim diferencia.
Entoando sussurros
Que, sem falha,
Sucintos e sorrateiros,
Eternamente soarão
Como uma costura,
À minha postura
No escuro.

miércoles, 5 de octubre de 2011

não pergunte para mim

tudo o que houver de ruim será assimilado
todo o feio, o errado, o torto, os azares

tudo o que causar nojo ou repulsa
será tomado como inspiração

naquilo que a perversão se debruçar
seremos fiéis seguidores, semeando o horror

em tudo o que o caos molhar o dedo,
aí, meu caro, teremos deleite

martes, 4 de octubre de 2011

Beijo

Sua sede,
Sucessiva, quase suave
Sê... Repete.

Repele, mas volta.
Envolve, engole.
Morde, mora
Vai embora,
Pelas beiras
De um beijo...

Incessante, insaciável.

lunes, 3 de octubre de 2011

Meia noite, minha noiva...

domingo, 2 de octubre de 2011

Limpa Tentativa

Resistência, subsistência.
Os sublimes restos
São estes limites...
O limbo tentador