viernes, 16 de septiembre de 2011

Esthrelas Cadentes

Eu arranco com todas as forças
Os meus pés do chão
Como uma raiz colhida sem remorso
Mas a questão:

Asas não sei calçar...

E não quero entretê-las, quero tê-las,
Mas às estrelas não vou alcançar.
Nem em mil saltos...

Esperar sempre resta
Aquelas finas arestas
Caírem do alto.

No hay comentarios:

Publicar un comentario