jueves, 7 de abril de 2011

Voltei a sonhar

De todas as escolhas que eu fiz até hoje, sem dúvida a mais difícil foi decidir se minha vida seria realmente minha ou continuaria sendo uma vida. Dizem que esse momento chega em algum ponto da jornada de todos, mas conheço muitas pessoas que beiram da passividade à morte, e não passam disso. Inertes, idosos e presos.
Que lição eu deixarei no fim da minha vida? Ainda é cedo pra dizer, estou reaprendendo tudo agora; Se o fim da minha vida fosse agora a única lição que eu teria é: A vida não é linda, e viver não é foda. A vida é a vida, se ela for sua.
Depois de ter morado sozinho, viver à vodka e macarrão por alguns meses, depois de procurar a morte, vícios, procurar a felicidade, depois de relacionamentos messiânicos, depois do conformismo de tudo voltar ao seu devido lugar, meu Eu Interior não sossegou, a vida ainda não era minha, apesar de tantas emoções e independências. Algo em mim disse "não, ainda não está tudo certo, você não aprendeu todas as lições e você não chegou ao seu fim"; Então eu escolhi... Escolhi conquistar a vida que me era prometida.
E agora eu sonho...

4 comentarios:

  1. O inverno sempre traz filosofia polar. Rá! Agora é sério, sonhe para realizar e sonhe para sonhar, essa é a lição que não vem no pacote de macarrão. Você deixou saudades amigo, mas não volte tão cedo.

    ResponderEliminar
  2. qualquer coisa fecha os olhos e anda pra frente...

    ResponderEliminar
  3. os fins estão sempre esperando pra começar, mas enquanto tu sonhas te manténs vivo =)

    (nem sei se conjuguei certo os verbos. foda-se haha).

    ResponderEliminar