jueves, 20 de mayo de 2010

Reflexões de Banheiro 2

da série Reflexões de Banheiro:

Da a música e o relacionamento
Eu adoro música. Eu adoro as sensações que as músicas me trazem, as lembranças, o cheiro, o clima. E voltando do trabalho hoje, eu ouvia Blind Guardian, é minha banda preferida, desde que eu comecei a apreciar música, estava frio, nublado, e ventando. Estava perfeito. Eu sorri.
Faixas depois ouvi outra música, outra banda, que me lembra uma pessoa. O riso se foi. A música, o clima, o vento, tudo era lindo, inclusive as lembranças. Mas são marcas doloridas.

Eu nunca vou namorar uma garota que goste de Blind Guardian.

miércoles, 19 de mayo de 2010

Mero Observador

Repousava desfalecido em berço de sombras e frio
Quando de olhos em canto vi um límpido relance
E um terno vício corrompeu a mente por um fio
Mas era tamanho encanto longe do meu alcance

Então nas trevas permaneci, observando
Aquele misterioso olhar esmeralda...
E temo que, espreitando, me torne nefando
Pela beleza escondida em uma grinalda.




Algumas vezes o artista se depara com o apego ao belo, e então sua intimidade com a natureza aumenta, pois além de observador, sua inspiração o torna criador. No entanto certas vezes essa observação exige um aprofundamento maior, e isso não é possível, ocorre uma certa utopia. E se o belo é ainda complementado por afinidades e substâncias bem mais profundas que a mera beleza, o risco de paixão socrática, entre contemplador e belo, é maior. Mas ainda é seguro para um mero observador.

lunes, 17 de mayo de 2010

Reflexões de Banheiro

Reflexões de Banheiro surge como a nova forma de manter isso aqui atualizado. Serão reflexões leves, críticas e pensamentos, nem sempre originais, muito menos profundas, que tenho no meu dia-a-dia, não necessariamente no banheiro. LOL

A reflexão que eu tive hoje foi sobre pessoas queridas indo embora (está acontecendo um fenômeno ainda não estudado: êxodo em massa de entes queridos, estão migrando pra estados cujos nomes começam com R, de acordo com as estatísticas informais).
"Essa cidade está morrendo. As células estão sendo expulsas como um câncer, como o sangue escapando de uma ferida. Como animais fugindo da jaula, que mesmo sem racionalidade, clamam por seus instintos de liberdade e sobrevivência, no âmago de sua fome e no afiar dos dentes e garras indefesas contra a maldade humana! E assim nós sentimos o desejo infindável de buscar algo que também foi embora, algo que sangrou de uma ferida aberta em nossos corações..."

viernes, 14 de mayo de 2010

Sketchcrawl

Sketchcrawl amanhã!
No Salão do Livro, em frente a fundação cultural acontecerá a próxima edição do Sketchcrawl em Foz!!!!

É tudo, alguma dúvida o campo de comentrário está aberto.
Estou economizando imaginação para desenhar, então por hoje é só.

miércoles, 12 de mayo de 2010

O comportamento é um espelho em que cada um vê a sua própria imagem.

Não dá, não dá. Às vezes sou um poço de paciência, reconheço meus defeitos e tolero tudo tentando ser compreensivo sobre a vida e a realidade. Mas não é possível que a maioria do mundo seja tão atrasada, e que não encare a possibilidade de evoluir. "Mudar pra quê?". Não dá. A informação hoje é gratuita, é acessível, e quase banal, mesmo assim existem coisas mais banais pra se dar valor.
E nesses dias, em que o anjinho vai ao banheiro, em que a paciência sai de férias. Nesses dias a ignorância se trata com sarcasmo.



Ao menos estou assumindo minha ignorância.

martes, 11 de mayo de 2010

O Olhar Labiríntico

Um majestoso saber ilógico
Tomou-me ainda adormecido,
E embebedou meus propósitos,
Purificando o apodrecido
Das realidades mais sólidas.

Mesmo por atalhos misteriosos,
Eu soube aonde me levaria:
Aos palácios mais gloriosos,
Em que certa força reinaria.

E mais que sábio, era mágico
Esse teu encanto estático.
Amornando meu coração
Com tamanha exatidão,
Sendo apenas mais prático
Aos ventos do verão.

E agora me deparo perdido
Nestes vastos, lindos labirintos.
Indagando-me onde tem escondido
A doçura dos lábios tintos...