domingo, 20 de septiembre de 2009

Atmosfera tísica.

Manhã icterícia. A natureza com brandos contrastes a qualquer ser impele suas veleidades a admirar, embora o ar seja infectado porquanto o paroxismo da realidade não anseia por convalescença.

Alucinações com familiares fantasmas
Continuam por me tomar
Passos e vozes creio escutar
Uma televisão desregulada a vazias almas

E qual diferença isso me causa?
Se apenas uma ausência
À superstição abrasa
De um mundo ausente faz evidência

Reflexos de reflexões por fogos-fátuos
Afluíram como águas pantaneiras
A uma clara obscuridade submeteram

Ao patíbulo subirei às vossas maneiras
Pois se o desejo determina sacrifícios
Sei que muitos por vós morreriam.

2 comentarios: