miércoles, 1 de julio de 2009

Equívocos

Se ao deparar-se com o termo "indiferença" pela primeira vez, um jovem predisposto de preceitos escrupulosos e uma educação levemente atenuada, incorre à inferência de um significado por autossugestão caracterizada pela desconstrução do enxerto estabelecido mediante ao prefixo que incita a interpretação de uma negação, uma conclusão errônea. Embora a origem latina determine: in- 'privação, negação'; não é esse o entendimento que nos fora transmitido, qual nos demonstram os léxicos.

Respectivamente observando os dicionários Houaiss, Luft e Aurélio, encontram-se os diferentes desígnios: falta de interesse ou sensibilidade, despreocupação, desprendimento; frieza, apatia; que não apresenta benevolência ou malevolência. Entretanto, tais denotações são um tanto mais aparentes quando concernentes a objetos ou quando um indivíduo torna-se objeto, com base em sua utilidade ou valor, independente de qual seja este.

A despeito destas considerações, muitos indivíduos se utilizam da indiferença como uma maneira de demonstrar um desdém específico, que é irrefutavelmente notável ao alvo desta atitude com intúito de inferiorizar. Sem darem-se por conta de que a simplicidade e a afabilidade ainda que desinteressadas podem ser tanto mais proveitosas que uma indelicadeza estática, os procedentes de tal conduta fazem questão de manter imutável o conceito desta, manifestando concomitantemente a volúpia e elegância sentida ao expressar-se através do silêncio e impolidêz, tanto a seu suposto alvo quanto a coniventes.

Abstraindo-se esta atitude como componente de outro processo ao qual muitos deleitam-se ao considerar insuportável, ou seja, a falsidade à qual utilizam-se incautos e despercebidos porém, nota-se quão necessária é a contradição para a subsistência de suas crenças, sociabilidade, desenvolvimento, etc. Analisando alguns princípios como estes se obtêm respostas de instância muito ordinárias como: "por que as pessoas são tão incrédulas entre si?", "por que há tantos conflitos entre eles?", "por que a atmosfera deste local tem de ser tão negativa?".

4 comentarios:

  1. HUIERhiuhiuEHIUheiuhEIUHeiuhiUEHIUEHIUEHIUHEIUHEIUHE
    Vamos ao Mago Bar?
    EHUIEheuiHiuehiueHIUEHIUheIUheiuhe


    muito bom

    ResponderEliminar
  2. Que coisinha mais complicada de entender...rss...espera ae que vou alí morrer um pouquinho, depois volto com a cabeça arejada...!!! rss
    esmaques pra ti

    Marisete Zanon

    ResponderEliminar
  3. Este comentario ha sido eliminado por el autor.

    ResponderEliminar